Vacina contra a febre amarela na gravidez − prejudica o bebê?

Vacina contra a febre amarela na gravidez − prejudica o bebê?

 

Os casos de febre amarela em estados brasileiros são preocupantes, em últimos dados atualizados em fevereiro pelo Ministério da Saúde, já foram confirmados 292 casos da doença, 1.337 casos suspeitos e deste número, 919 estavam em investigação e 126 foram descartados. De 212 óbitos, 97 foram confirmados, 112 foram investigados e 3 foram descartados. Os estados brasileiros: Minas Gerais, Espírito Santo, São Paulo, Bahia, Rio Grande do Norte e Tocantins ainda apresentam notificações da febre amarela.

 

Mas com a incidência de surto da doença, algumas questões se tornam fundamentais a serem discutidas como a vacinação contra a febre amarela em gestantes.

 

Grávidas podem se imunizar contra a febre amarela?

A febre amarela é transmitida por picada de mosquito, mas a doença não tem relação com problemas de formação do feto como é o caso do vírus zika. Ainda assim, se torna essencial que cuidados sejam tomados para prevenir a doença em regiões com o surto.

 

Se a mulher realizará uma viagem a alguma região endêmica, o ideal é que adie o máximo que puder, mas se não for possível, deve avaliar junto ao especialista que acompanha a sua gestação sobre quais são os prós e contras da imunização.

 

É muito comum que após a vacinação, algumas mulheres sofram reações já que a vacina é formulada a partir do vírus atenuado, mas ainda assim, pode ser mais viável sofrer alguma reação desagradável do que estar suscetível à infecção com o vírus forte.

As pesquisas científicas ao redor do mundo não apontam a relação da vacina com problemas ao feto, mas se a mulher já reside em locais endêmicos, o ideal seria que tomasse a vacina antes de tentar engravidar.

 

Em locais com incidência da doença, é importante que repelentes sejam utilizados, assim como roupas que protejam os braços e pernas. Casas e apartamentos devem ter a proteção de tela nas janelas e portas.

 

O portal sobre maternidade Trocando Fraldas ver, esclarece que a vacina contra a febre amarela só é indicada a partir do sexto mês de gestação e que o ideal seria que a mulher adiasse a viagem a regiões endêmicas o máximo que pudesse ou até mesmo desistisse dos planos.

 

E o bebê pode ser vacinado?

O bebê pode receber a vacina a partir dos seis meses de vida, mas isso se residir em local com incidência da doença ou se os pais tiverem que realizar uma viagem a alguma região endêmica. Fora esses casos, a indicação é que a criança receba a vacina a partir dos nove meses de vida.

 

Veja também – Saiba os sintomas e como prevenir a febre amarela

Fonte: Trocando Fralda/texto: Jornalista Daiana Barasa

 

Comentarios