Presos tinham vídeos de bebês violentados e manual para abusos  

Perfil dos suspeitos de pedofilia investigados pela operação variam de funcionário público a dono de escolinha de futebol

Por Redação em 20/10/2017 19:30


Com 108 prisões até o momento, a operação Luz da Infância, realizada em 24 Estados e no Distrito Federal, cumpriu 157 mandados e conseguiu rastrear 151.508 arquivos. Entre o material investigado pela operação de combate à pedofilia, deflagrada nesta sexta-feira (20), policiais encontraram vídeos de bebês molestados e manual para abusos, segundo informações do G1.

O Departamento Estadual de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP) informou que as cartilhas continham orientações sobre como abordar as crianças e os passo a passo para mantê-las sob controle durante o abuso.

As investigações teriam começado há seis meses, por iniciativa da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), que faz parte do Ministério da Justiça. O órgão firmou parceria com a Polícia Civil dos Estados, com apoio da embaixada americana, com o objetivo de desbaratar uma rede que atuava na internet obscura, não acessível pelos meios tradicionais, conhecida como “deep web”.

Segundo a reportagem, o perfil dos suspeitos de pedofilia investigados pela operação variam de funcionário público a dono de escolinha de futebol. Os presos por armazenamento de arquivos podem cumprir de 1 a 4 anos de reclusão; porém, como o crime é afiançável, eles podem deixar a delegacia ainda nesta sexta (20). Para aqueles que compartilhavam o material, as penas vão de 2 a 6 anos, mas a determinação se devem aguardar presos ou em liberdade ficará a cargo do juiz, em uma audiência de custódia programada para este sábado (21).

Fonte: Notícias ao Minuto

Comentarios

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *