Homens poderão engravidar com transplante de útero. LGBT vibra

Homens poderão engravidar com transplante de útero. LGBT vibra

Antigamente, era incogitável que uma mulher que nasce com a ausência do útero, ou

seja, que sofria por não poder engravidar, viesse ter a chance de gerar filhos.

Porém, com o avanço da ciência e da tecnologia, isso mudou. Se a ciência tornou possível para mulheres, mesmo que temporariamente, por que não tornar também para transgêneros?

Hoje em dia, mulheres que nascem com essa condição, podem optar passar por um
transplante de útero, que foi doado por outra pessoa ainda viva e assim, conseguem
gerar seus próprios filhos.

O prazo é determinado para que o útero transplantado dure tempo suficiente para que seja gerado duas crianças, com um curto período de tempo entre elas, e logo após isso, o órgão deve ser retirado para que a paciente deixe de tomar os medicamentos para não ocorrer rejeição.

Um estudo a respeito do transplante em transgêneros está sendo desenvolvido por
pesquisadores da Universidade de Liverpool. Eles anunciaram a pesquisa após uma notícia de grande repercussão, que foi o nascimento de um bebê no Reino Unido, que foi gerado no útero de uma mulher, que vem fazendo a transição de gênero, para ser um homem legalmente.

 

Os pesquisadores explicaram que após um tratamento extremamente complexo,
homens que se identificam como mulheres também poderão engravidar.

A ideia é tão importante para o meio médico, que profissionais do Serviço Nacional
de Saúde do Reino Unido, contaram que assim que a pesquisa for terminada, os
transplantes serão realizados com dinheiro público, como representação da igualdade consagrada na lei. De acordo com os pesquisadores, as pessoas poderão arcar com uma gravidez de forma total.

 

O Dr. Alghrani, chefe da equipe de pesquisa, relatou que essa é uma descoberta
possível que ajudaria a todos, não somente mulheres transgênero, como também
homossexuais e heterossexuais que queriam ter essa experiência.

Esse caso é considerado inusitado, tanto no Reino Unido, como em todos os outros países do mundo, porém os estudos já estão bem avançados de acordo com as afirmações da equipe médica de Liverpool, mesmo não tendo uma data pré-definida para o seu término, e/ou começo se seus primeiros transplantes.

Fonte : yspread.com

Comentarios