Casos de chikungunya disparam em MT

Nesta segunda-feira (15), o Mato Grosso Saúde, plano exclusivo dos servidores públicos estaduais e seus dependentes, inicia uma campanha de conscientizaçãopara eliminar criadouros do mosquito Aedes aegypti, que é o transmissor dos vírus da dengue, zika e chikungunya. A principal preocupação é com a febre chikungunya que registrou aumento de 141% no Estado em 2017, conforme os últimos dados divulgados pela Secretaria Estadual de Saúde na comparação com 2016.

Para isso, intensificará a ação nos próximos meses com a distribuição de material informativo sobre a importância em eliminar os criadouros do mosquito.

O presidente do Mato Grosso Saúde, Maurélio Ribeiro, ressalta a importância dos esforços em combater essas doenças e do trabalho de conscientização das pessoas. “Além de ser uma ação de saúde preventiva, trabalhamos para que as pessoas possam ter uma qualidade de vida melhor com atitudes que levem ao desaparecimento dos focos destas doenças”.

Índices

De acordo com o Boletim Epidemiológico 44, da Superintendência de Vigilância em Saúde, Mato Grosso apresentou alta incidência de dengue, média incidência de febre chikungunya e baixa incidência de febre pelo vírus Zika. Os dados são de janeiro a 9 de dezembro de 2017.

Neste período, o número de casos de dengue foi de 11.343 o que representa redução de 61% em relação ao mesmo período de 2016.

Já em relação à febre chikungunya, foram 3.479 registros, um aumento de 141% em relação ao mesmo período de 2016. Por fim, em relação ao número de casos de febre pelo vírus zika foi de 2.448 uma redução de 90% em relação ao mesmo período de 2016.

Fonte: Folha Max

Comentarios

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here