JUSTIÇA (Pág 2)

O crime ocorreu na madrugada deste domingo(14),No distrito de São Domingos em São Francisco do Guaporé. As informações dão conta que o acusado de cometer o crime  é Enoir Da Silva Paulo, efetuou um golpe de faca, tirando a vida de Ângelo de Jesus Martins.

Ainda de acordo com informações policiais, Enoir da Silva, estava armado com uma possivelmente um revólver cal.32,atirou na cabeça da irmã da vítima, identificada apenas como Claudiane, mesma ferida foi socorrida até um Posto de saúde da localidade. Depois de cometer essa barbárie, o acusado Enoir da Silva fugiu em uma moto CB 300, tomando rumo incerto pela Rodovia Federal 429, sentido ao município de São Francisco do Guaporé.

Segundo informado por populares os irmãos são recém chegado do município de Colniza no Mato Grosso. A Polícia Civil agora passa a investigar este caso.

Por: Plantão Central

Imagens do circuito interno de vigilância do Presídio de Segurança Máxima de Alagoas, em Maceió, mostram um entregador de lanches levando comida para um detento. A gravação aconteceu no dia 26 de outubro do ano passado, por volta das sete da noite.

Segundo destaca o G1, o motoqueiro e um homem na garupa passam pela portaria do sistema prisional, se identificam aos seguranças e a entrada é liberada.

Em seguida os dois homens de moto entram no presídio. Na época, o local era administrado na época por policiais militares. O detento já esperava para receber as sacolas, que aparentemente contêm sanduíches e refrigerantes.

O juíz de Execuções Penais, José Braga Neto, disse em entrevista que desconhece o conteúdo do vídeo mas repudia a facilidade de acesso de pessoas de fora do sistema no presídio. “A situação é completamente absurda. Não se concebe que agentes que deveriam zelar pela lei e a ordem se comportem dessa maneira. Isso tem que ser apurado e os responsáveis devidamente punidos”, disse o magistrado que defende uma investigação específica sobre o caso.

O vice-presidente do Conselho de Segurança Pública de Alagoas (Conseg), Antônio Carlos Gouveia, avalia que as imagens podem indicar um grande esquema de corrupção envolvendo agentes penitenciários e policiais militares dentro do sistema prisional. “O Conselho recebe essa informação com bastante perplexidade. Sabemos que para alguém passar pela portaria principal do presídio é necessário uma autorização da direção. Ou seja, com certeza para a moto passar na entrada e conseguir ter acesso a um detento é preciso a participação de muitas pessoas”, explicou Gouveia.

Segundo o vice-presidente do Conseg, será iniciada uma investigação para identificar todos os envolvidos.

Fonte Notícias ao Minuto

Um pai morreu e o filho foi baleado dentro de casa na madrugada desta sexta-feira (12), no bairro Jardim Industriário, em Cuiabá. As informações são de que Orlando Moraes de Arantes, 54 anos, foi executado com tiros no pescoço, lombar e ombro e morreu no local.

Já o filho, Orlando Moraes de Arantes Junior, foi baleado no tórax e encaminhando ao pronto-socorro de Cuiabá.

Conforme informações do boletim de ocorrências (BO), a polícia chegou ao local e encontrou o pai aparentemente em óbito e o filho alvejado no sofá. Orlando Junior não conseguiu passar mais informações sobre o que ocorreu, pois estava com sangramento.

Uma equipe do Samu foi acionada e fez o atendimento a o filho.

No local do crime, os policiais encontraram uma arma calibre 38, da marca Taurus. Populares disseram que duas pessoas saíram correndo da casa após disparos.

O corpo foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML) para exames de necropsia. A Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) vai investigar o caso. Foi constato que o portão da casa não estava arrombado.

FONTE : FOLHA MAX

Uma investigação da 38ª DP (Brás de Pina) identificou sete traficantes da Cidade Alta, em Cordovil, na Zona Norte do Rio, responsáveis pela invasão às favelas vizinhas Pica-Pau e Cinco Bocas, em outubro de 2017, que culminou com a execução de dois traficantes. Os corpos dos dois homens — identificados somente como Lorran e Gato — foram embrulhados em caixas de presentes e enviados aos rivais.

Foram pedidas à Justiça as prisões de Álvaro Malaquias Santa Rosa, o Peixão, de 32 anos; Rodrigo Ribeiro da Silva, o Jeremias ou Mia, de 34; Rodnei de Menezes Andrade, o Baratão, de 38; Luis Carlos de Andrade, o Farinha, de 32; e Alan Felipe da Silva. Outros dois traficantes identificados como participantes da invasão já estão presos: Daniel Nunes, o Chapoca; e Rafael Felix da Silva Valadares, o Lulinha. Todos eles integram a facção Terceiro Comando Puro (TCP), que domina a Cidade Alta, e foram indiciados por tráfico de drogas e associação para o tráfico.

De acordo com a investigação, quem ordenou que os cadáveres fossem mutilados e enviados em caixas de presentes foi de Peixão, o chefe do tráfico da Cidade Alta. A determinação foi motivada pelo assassinato, dias antes, de um adolescente de 16 anos, identificado como Matheus William, durante uma tentativa de invasão de rivais de comunidades vizinhas, dominadas pelo Comando Vermelho (CV). Os corpos foram deixados na entrada da favela Pica-Pau, embrulhados com laço de fita.

Como revelou o EXTRA, no segundo semestre do ano passado, Peixão instituiu o “IPTU do crime” na Cidade Alta. Numa correspondência endereçada a todos os moradores, ele informava que “a partir do quinto dia útil de agosto, moradores irão pagar de R$ 5 a R$ 10 mensais para ajudar na segurança da comunidade”. Ao fim do texto, uma saudação acompanhava a assinatura: “Atenciosamente, a tropa do mano” — outro apelido do traficante.

No último Dia das Crianças, Peixão mandou distribuir presentes e montou uma gigantesca piscina na comunidade para angariar a simpatia dos moradores.

A disputa entre as facções rivais pelo controle da Cidade Alta já dura mais de um ano. Na última quarta-feira, houve nova tentativa de invasão de traficantes das favelas do Pica-Pau e Cinco Bocas à comunidade. Houve troca de tiros e o 16º BPM (Olaria) foi acionado. Nenhum criminoso foi preso.

Fonte  : EXTRA

Os Comentários abaixo não Expressam a opinião do Site Urupa Notícias e são de responsabilidade exclusiva dos respectivos autores. 

Auxiliar administrativa viveu terror nessa terça-feira (9), em São Paulo

Um dia depois de ter sido jogada na frente de um trem do metrô na estação Conceição, na zona sul de São Paulo, a auxiliar administrativa Jussara Araújo de Souza falou sobre os momentos de terror vividos na terça-feira (9).

“Nem tive tempo de me mexer, que o metrô chegou. Do jeito que eu caí, fiquei. Na hora eu pensei: ‘morri’. Aí passaram quatro vagões em cima de mim e constatei que escapei por um milagre”, contou ao Uol.

Jussara foi empurrada pelo auxiliar de limpeza Sebastião José da Silva, de 55 anos. Ele foi preso em flagrante e disse que, vivendo problemas pessoais, quis se vingar em uma pessoa desconhecida.

Fonte : Notícias ao Minuto

Uma briga de casal resultou na morte de um homem de 72 anos no Incra 7, em Brazlândia, na manhã desta quarta-feira. A mulher, de 52 anos, acertou o companheiro com um golpe de panela de pressão na cabeça, segundo a Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF).

Ainda de acordo com a PM, Francisca Eliete Siqueira Cordeiro apresentava sinais de embriaguez. Ela teria usado a panela para se defender do marido e o acertou. O homem, identificado como Geraldo Palasso, não resistiu ao ferimento e morreu no local, antes mesmo da chegada do socorro.

Francisca foi levada pelos PMs à 24ª DP (Setor O), que investiga o caso.

Fonte: Extra

Durante um patrulhamento de rotina no bairro União 2, na tarde desta terça-feira, dia 09, a Guarnição de Rádio Patrulha composta pelo CB PM Petinari e SD PM Odirley, se deparou com um indivíduo transitando pela Rua Bem-te-vi, em atitude suspeita.

 

Ao fazer uma consulta no banco de dados da polícia, foi constatado que o suspeito se tratava de um fugitivo do sistema prisional. Marques Clodoaldo Muniz, cumpria pena por Roubo, quando fugiu do Regime Semiaberto, em março de 2017.

 

Diante dos fatos, Marques recebeu voz de prisão e foi conduzido novamente para o Sistema Prisional, onde deverá permanecer até o cumprimento de sua pena.

 

Matéria:www.comando190.com.br

De acordo com os agentes da DCAV, o abuso começou em 2016 e continuou a acontecendo até novembro passado

Um funcionário federal de 63 anos foi preso, nesta terça-feira (9), no Rio de Janeiro, sob suspeita de assédios sucessivos a uma criança que hoje tem 11 anos. Conforme a Delegacia de Crianças Adolescentes Vítimas (DCAV), de Guapimirim, a criança vivia em uma entidade chamada Casa da Serra.

De acordo com os agentes da DCAV, o abuso começou em 2016 e continuou a acontecendo até novembro passado. Os agentes tiveram acesso a conversas do homem com a criança.

Em um dos contatos virtuais, o suspeito pedia que o menino tirasse toda a roupa, via chamada de vídeo, instruiu a criança a se masturbar, enquanto também se masturbava.

NOTÍCIAS AO MINUTO

A matogrossense Mel Di Pietro usou sua página pessoal do Facebook para relatar e mostrar imagens de uma agressão que sofreu do seu namorado. O caso ganhou repercussão no estado de Santa Catarina e já é compartilhado nas redes sociais.

A jovem que mora na cidade de Itajaí (SC) postou três fotos nas quais aparece com o rosto desfigurado, com hematomas. Ela relata que o namorado identificado como Daniel seria o autor das agressões.

As fotos mostram ferimentos nos olhos e na boca. Parte dos lábios da vítima tem manchas de sangue coagulado.

No texto, Mel deixa entender que a agressão teria ocorrido na segunda-feira (08), mas não conta como tudo aconteceu.

As palavras de desabafo da moça já foram compartilhadas mais de 254 vezes e ela recebe apoio de diversas pessoas pelos comentários.

Em sua postagem, a jovem relatou que o começo do namoro foi digno de elogios, inclusive, por parte de conhecidos do casal. ““Nossa, mas vocês combinam tanto” “Vocês são tão lindos juntos” foram algumas das frases que eu e Daniel ouvimos enquanto namorávamos ano passado”.

Porém, nesta segunda-feira, todo o “conto de fadas” que a jovem imaginou passar ao lado do namorado acabou. “08-01-2018 o fim de todas as lembranças boas. Tristeza, vergonha, indignação. Confesso que esta é uma situação que jamais pensei em passar na vida. Por ser uma pessoa do bem, fazer o bem, cuidar, ajudar, enfim”, assinla.

Mel Di Pietro relata os momentos vividos no relacionamento, lembrando que ao longo do tempo o namorado já tinha apresentado sinais de agressão, que só foram percebidos quando ocorreu fisicamente. “Primeiro eles te conquistam, aceitam tudo. Com o tempo te reprimem, querem te proibir de fazer tal tipo de coisa, começam a te afastar dos seus amigos, acham que são donos, eles sabem e decidem tudo. Logo vem os primeiros sinais, afinal, a agressão não é só a física. E é aí que erramos, em achar que vão mudar, que nunca farão o mesmo”, complementa.

Após dizer que “teve que passar pela episódio para aprender”, a jovem alerta as mulheres que passam pela mesma situação a denunciar. “O que me dói além de todos estes machucados é saber que tem tanta gente sofrendo como eu, mas calada… Erros e acertos são filhos do mesmo pai, se errei foi tentando acertar. Nada é por acaso, e eu ainda vou saber o motivo de estar passando por tudo isto. #desabafo #diganãoaagressão”

FOLHAMAX tentou contato com a jovem pelas redes sociais, mas até o momento  não houve resposta.

FOLHA MAX

MPE exigiu que prefeitura de Colniza exonere Yana Fois do quadro de médicos do município

O Ministério Público do Estado de Mato Grosso, por meio da Promotoria de Justiça de Colniza, notificou o município para que proceda a anulação do contrato administrativo relacionado à prestação de serviços clínicos envolvendo a médica Yana Fois Coelho Alvarenga. Ela foi presa por suposta participação na morte do prefeito de Colniza (1.065 km), Esvandir Antonio Mendes, ocorrida no dia 15 de dezembro de 2017.

De acordo com a notificação, antes de ser assassinado, o prefeito municipal informou ao Ministério Público, de maneira informal, que não assinaria eventual contrato envolvendo a médica Yana Fois Coelho Alvarenga. Segundo ele, a medida seria para convocar servidores concursados.

Além disso, já existe liminar, nos autos da ação civil pública, proposta pelo MP, que proíbe a contratação temporária em detrimento da regra constitucional da realização de concurso público. Segundo informações no edital do resultado final do concurso público 001/2017, da Prefeitura Municipal de Colniza, a médica foi desclassificada do certame, por não ter obtido a nota de corte para os cargos de médico clínico geral.

A médica é mulher do empresário Antônio Pereira Rodrigues, apontado como mandante do homicídio. Ela está presa desde o dia 26 de dezembro na Penitenciária Ana Maria do Couto May, em Cuiabá.

O prefeito foi assassinado quando voltava da zona rural do município. Ele foi perseguido pelos suspeitos que estavam em um SUV de cor preta.

FOLHA MAX