MINAS GERAIS (Pág 2)

Mais uma criança morreu vítima do incêndio criminoso ocorrido em Janaúba (MG). Thallyta Vitória Bispo de Oliveira Barros, 4 anos, não resistiu aos ferimentos e faleceu na manhã deste sábado (7), no Hospital de Pronto Socorro João XXIII, em Belo Horizonte.

De acordo com o jornal O Tempo, a garota foi transferida da Santa Casa de Montes Claros para o HPS na madrugada deste sábado (7).

O hospital informou que a criança teve 60% do corpo queimado. Thallyta é a décima vítima fatal do incêndio criminoso.

Fonte: Noticias ao Minuto

Morreu, na tarde desta sexta-feira (6/10), mais uma vítima do vigia que ateou fogo a crianças e a si mesmo em uma creche municipal da Janaúba, a 559 quilômetros de Belo Horizonte, no norte de Minas Gerais. Com isso, chega a seis o número de alunos mortos por Damião Soares dos Santos, 50 anos – quatro meninos e duas meninas. Ele e uma professora da unidade também não resistiram.

O incêndio no Centro Municipal de Educação Infantil Gente Inocente aconteceu quando cerca de 50 alunos e professores estavam no recreio. Segundo o Corpo de Bombeiros, o agressor jogou combustível sobre os alunos.

Vigia ofereceu sorvete, mas era gasolina, diz uma das crianças
Vigia atacou crianças no aniversário de 3 anos da morte do seu pai
Músico conta como resgatou crianças queimadas em creche de Janaúba
Uma menina e três meninos morreram logo após o ataque. Outra vítima não resistiu aos ferimentos durante a transferência a um hospital da capital, segundo os bombeiros e a prefeitura. A professora Heley Abreu, que ajudou a proteger as crianças, teve mais de 90% do corpo queimado e morreu na noite de quinta (5/10), segundo a Fundação Hospitalar de Janaúba.

Também foram identificados dois adultos e 21 crianças feridos, com idade entre 2 e 6 anos. Ao menos 15 vítimas foram transferidas para outras cidades – 11 para Montes Claros, maior da região, e quatro para BH. Pelo quadro de saúde delicado dos pacientes, devido aos ferimentos, equipes de resgate tiveram dificuldades em levá-los para a capital. “Há casos em que temos de colocar o paciente em pulmão externo”, disse Marcelo Lopes Ribeiro, diretor técnico do Hospital João XXIII, referência em Minas no atendimento a queimados. (Com informações da Agência Estado)

Por : Metrópoles

Juan Miguel tinha 4 anos (Foto: Juliana Peixoto/G1)

Os brinquedos de Juan Miguel Soares Silva, de 4 anos, ainda estão espalhados no quintal de casa, e a família do menino tenta entender o que aconteceu. Ele é uma das seis vítimas do ataque em uma creche em Janaúba, Norte de Minas Gerais, onde o vigia do local jogou álcool nas crianças e nele mesmo e, em seguida, ateou fogo, na manhã desta quinta-feira (5).

A mãe de Juan Miguel conta que a principal característica do filho único era a alegria de viver. “Ele era alegre, brincalhão e gostava de brincar de bola. Ele dormia abraçadinho comigo”, disse Jane Kelly da Silva Soares, que não conteve as lágrimas.

“Eu estava pensando em mudar ele de escola, porque a gente ia mudar de bairro. Eu acordei o Juan hoje cedo para deixá-lo na creche e depois já vi ele morto no hospital”, relatou a mãe.

“Juan gostava de jogar bola, andar de bicicleta. Nós estávamos programando fazer um almoço aqui no Dia das Crianças e fazer um bolo para cantar os parabéns pra ele, porque não deu pra comemorar no dia do aniversário dele”, afirmou a avó de Juan Miguel.

Outros mortos

Além de Juan Miguel, outras quatro crianças morreram no ataque ao Centro Municipal de Educação Infantil Gente Inocente, no Bairro Rio Novo. O vigia, Damião Soares dos Santos, de 50 anos, morreu no hospital algumas horas depois do ataque.

Durante a noite de quinta-feira, morreu a professora Helley Abreu Batista, de 43 anos. Ela estava com 90% do corpo queimado após ter sido atingida pelo fogo. A informação da morte foi dada por Ricardo Tolentino, diretor da Fundação Hospitalar de Janaúba, onde ela estava internada.

Mãe de Juan Miguel  (Foto: Juliana Peixoto/ G1)Mãe de Juan Miguel  (Foto: Juliana Peixoto/ G1)

Mãe de Juan Miguel (Foto: Juliana Peixoto/ G1)

Ana Clara Ferreira Silva, outra vítima de 4 anos, estudava na creche havia dois anos e tinha um irmão gêmeo, Victor Hugo, e mais quatro irmãos. Três estavam na creche no momento do ataque e não sofreram queimaduras.

“A gente gostava de brincar de esconder e de cobra cega. Na televisão, a gente gostava de assistir Peppa Pig”, disse Victor Hugo.

Irmão de Ana Clara mostram foto da vítima de ataque a creche em Janaúba, MG (Foto: Juliana Peixoto/ G1)Irmão de Ana Clara mostram foto da vítima de ataque a creche em Janaúba, MG (Foto: Juliana Peixoto/ G1)

Irmão de Ana Clara mostram foto da vítima de ataque a creche em Janaúba, MG (Foto: Juliana Peixoto/ G1)

“Minha filha era muito especial, esperta. Era gente boa demais minha filhinha. A creche é aqui pertinho de casa, nós ouvimos o barulho e corremos pra lá”, disse o pai das crianças Nelson de Jesus Silva.

Juan Pablo Cruz dos Santos, de 4 anos, também morreu no ataque. “Ele era um menino alegre. Nós escutamos falando no rádio que a creche que tinha pegado fogo era no Bairro Rio Novo. Meus dois sobrinhos estudavam lá, um morreu e o outro está ruim no hospital”, disse Edna Pereira dos Santos, tia de Juan Pablo.

Edna é tia de uma das crianças que morreu no ataque (Foto: Juliana Peixoto/ G1)Edna é tia de uma das crianças que morreu no ataque (Foto: Juliana Peixoto/ G1)

Edna é tia de uma das crianças que morreu no ataque (Foto: Juliana Peixoto/ G1)

A quarta criança morta no incêndio é Luiz Davi Carlos Rodrigues, também de 4 anos. “O sentimento é de revolta. Era uma criança inocente, tinha tudo pela vida ainda. Fico imaginando a cena dele na hora gritando mamãe, pedindo ajuda e ninguém podendo ajudar. É triste”, disse Laira Sandriane Rodrigues Silva, prima do menino.

Laira guarda várias fotos no celular com Luiz (Foto: Laira Sandriane Rodrigues Silva/ Arquivo pessoal)Laira guarda várias fotos no celular com Luiz (Foto: Laira Sandriane Rodrigues Silva/ Arquivo pessoal)

Laira guarda várias fotos no celular com Luiz (Foto: Laira Sandriane Rodrigues Silva/ Arquivo pessoal)

Feridos

Trinta e oito pessoas permanecem internadas em hospitais de Montes Claros, Janaúba e Belo Horizonte. Entre elas, estão 22 crianças. Duas funcionárias da creche, que estão em estado grave, foram transferidas de helicóptero de Janaúba para Belo Horizonte, na manhã desta sexta-feira (6).

Durante toda a quinta-feira, as famílias buscaram por notícias dos feridos no hospital de Janaúba. “A informação que recebi aqui é que ele inalou muita fumaça e pode ter tido queimadura interna, e deve ser transferido porque aqui está muito cheio. Ele estuda na escola há 3 anos e sempre foi tratado muito bem. A escola é muito boa”, disse Edgar Antônio Nogueira, pai de uma criança de 5 anos.

A filha de Joana Dark Oliveira dos Santos é uma das crianças que ficaram feridas no ataque e está internada. Joana foi avisada da tragédia por um amigo e diz que chegou à creche antes da menina ter sido socorrida. “Minha filha estava sentada, com falta de ar, acho que queimou por dentro; quase não saía voz. Peço que Deus dê vida e saúde pra ela”, disse a mãe.

Homem também ateou fogo em seu próprio corpo e está em estado grave. Segundo Hospital Regional, cerca de 40 feridos deram entrada no local

Pelo menos seis crianças morreram queimadas em uma creche em Janaúba, no Norte de Minas, na manhã desta quinta-feira (5). Segundo as primeiras informações da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros, o guarda do Centro Municipal de Educação Infantil Gente Inocente, no Bairro Rio Novo, ateou fogo em algumas crianças e em seu próprio corpo por estar inconformado em ter sido demitido. Ele está no hospital em estado grave. A creche Cemei Gente Inocente, que fica no Bairro Rio Novo, atende crianças de 2 a 4 anos.
Duas unidades do Samu de Janaúba estão no local e equipes de cinco cidades do Norte de Minas estão se deslocamento para atendimento da ocorrência. O número de feridos ainda não foi divulgado, mas, segundo a assessoria do Hospital Regional de Janaúba, cerca de 40 pessoas, entre crianças e adultos, deram entrada na unidade de Saúde. Alguns com ferimentos graves.

Em nota oficial a PM informou que pelo menos seis crianças morreram e outras 15 estão entubadas. O coronel que comanda a 11ª Região de Polícia Militar acionou o comando-geral da PM pedindo apoio de aeronaves. O helicóptero Pegasus da corporação já está no local com uma equipe do Serviço de Atendimento Médico de Urgência (Samu) prestando os primeiros socorros.
“Já existe avião do governo do Estado saindo de BH para Janaúba com retorno previsto para BH até o hospital João XXIII, o qual é referência em tratamento de queimaduras no Estado”, diz a nota da PM.
Sem suporte
Por meio das redes sociais o Hospital Regionalde Janaúba está pedindo doações de algumas coisas, não estava preparado para uma tragédia dessas.

Fonte : G1

Apolícia acredita que um jovem de 20 anos morreu por engano na noite desse sábado (9), em Governador Valadares (MG). A vítima, identificada como Lucas Barbosa dos Santos, estava em um chá de bebê quando foi atingido com dois tiros nas costas. O alvo, de acordo com a corporação, seria um outro rapaz, de 18 anos, que também estava no mesmo local.

Lucas e o possível alvo tinha saída para comprar bebidas quando foram surpreendidos por dois criminosos em uma motocicleta. A polícia acredita que o crime aconteceu em função da disputa pelo tráfico de drogas na região. Segundo informações do G1, a os militares já têm pistas dos suspeitos, que têm 20 e 21 anos.

Fonte: Notícias ao Minuto

 

A prefeita Roseli Ferreira Pimentel (PSB), da cidade de de Santa Luzia, na Região Metropolitana de Belo Horizonte, foi presa na manhã desta quinta-feira (7), por suspeita de envolvimento na morte do jornalista Maurício Campos Rosa, do jornal O Grito.

A prefeita vai passar pelo Instituto Médico Legal (IML) para exame de corpo de delito e depois será encaminhada ao presídio. Segundo a polícia, durante a operação também foram presos outros três homens suspeitos, pelo crime ocorrido em 17 de agosto do ano passado, em Santa Luzia.

Os presos foram encaminhados ao Departamento de Investigação de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), onde serão ouvidos.

Histórico

Roseli teve o mandato cassado cinco vezes e ainda estava no cargo por causa de liminar. Ela e o vice-prefeito, Fernando César (PRB) são acusados de captação ou gasto ilícito de recursos financeiros na campanha eleitoral.

Fonte:Noticias ao minuto

 

Um médico ginecologista é acusado por uma paciente de estuprá-la durante uma consulta em Montes Claros (MG). A suposta vítima, de 30 anos, que teria sido abusada sexualmente na manhã dessa sexta-feira (18), registrou um boletim de ocorrência na delegacia. O suspeito foi encaminhado à unidade policial para ser ouvido e, em seguida, foi liberado por não haver provas. A polícia abriu um inquérito para investigar o caso.
A mulher e o médico, que não tiveram as identidades reveladas, foram levados para o Instituto Médico Legal (IML), relatou o G1. Após exames, foi constatado que a denunciante não tinha mantido relação sexual recente. No entanto, segundo a vítima, o homem começou a acariciá-la e, depois, fez sexo oral.

Segundo ela, quando percebeu o abuso, pediu para ele parar, mas o médico não obedeceu o pedido da mulher e continuou realizando o ato contra a vontade da paciente. O suspeito negou o crime e afirmou que atende a jovem há cinco anos.

O advogado de defesa do médico, Éder de Oliveira Martins Junior, afirmou que seu cliente foi vítima de “um grande mal entendido”. Ele disse que o médico esclareceu os fatos, prestou depoimento e foi liberado “dada a fragilidade da situação e inocorrência do fato”.

Fonte:Noticias ao Minuto

Mesmo sem o apoio do pai, um adolescente de 12 anos, morador de Uberlândia, no Triângulo Mineiro, conseguiu na Vara da Infância e Juventude da cidade, o direito a um tratamento para bloqueio da puberdade. O jovem é transgênero e se identifica com o sexo feminino.

A ação foi protocolada pelo Ministério Público de Minas Gerais, após o adolescente ter comparecido na Promotoria de Justiça de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente utilizando roupas destinadas ao público feminino durante o mês de julho, e relatando que se comportava como uma pessoa do gênero oposto ao que nasceu.

O jovem também manifestou o desejo de fazer uso de medicação, previamente prescrita por médicos, além de ter um acompanhamento psicossocial. Depois da visita, ele foi encaminhado para avaliações multidisciplinares realizadas por equipes de médicos, enfermeiros, psicólogos e psiquiatras da Universidade Federal de Uberlândia (UFU), que constataram que o adolescente apresenta quadro clínico de transtorno de identidade sexual.

Durante seu relato ao MPMG, o jovem também disse às autoridades que, apesar de amar o pai, buscou ajuda, pois, por preconceito, ele não autorizava o filho a realizar o tratamento. A situação, segundo o adolescente, lhe causa um intenso sofrimento mental.

A mãe, no entanto, concordou com os pedidos do filho e o acompanhou durante todo o processo. Segundo os relatórios elaborados após as avaliações multidisciplinares, o uso da medicação é preventivo, com efeitos reversíveis, e não prejudica a formação do adolescente, além de lhe garantir a proteção de sua saúde física e mental. Os relatórios das equipes da Universidade Federal de Uberlândia ainda afirmaram que o uso da medicação e o acompanhamento psicossocial respeita os direitos do adolescente, apesar da negativa do pai.

De imediato, logo após iniciar o tratamento, é impedido que qualquer característica, feminina ou masculina, se desenvolva em definitivo, e, assim, aos 16 anos, o adolescente pode se confirmar do gênero feminino ou, se não for mais seu desejo, pode interromper os tratamentos permitindo que as características do gênero masculino voltem a se desenvolver.

De acordo com os profissionais de saúde ouvidos, o uso da medicação e o acompanhamento psicossocial respeitam os direitos do adolescente, mesmo com as negativas do pai, permitindo que aos 16 anos de idade o jovem reveja a posição adotada e decida em definitivo pelo gênero feminino.

Foi proposta uma Ação Civil de Suprimento de Autorização Paterna com os pedidos de tratamento médico e psicossocial integral, além da modificação do nome social para o gênero feminino. A Justiça concedeu a liminar e autorizou o início dos tratamentos.

O juiz de Direito Lourenço Migliorini Fonseca Ribeiro, responsável por julgar o caso, afirmou que não se pode conceber que o pai, de forma discriminatória, impeça ou prejudique os tratamentos e os acompanhamentos psicossociais indicados, com clara violação da dignidade humana e do livre desenvolvimento da saúde mental do adolescente defendido pelo Ministério Público.

Fonte: Estado de Minas

Uma mulher foi presa na madrugada desta sexta-feira (28) por arrancar um pedaço da orelha do marido com os dentes, em Uberlândia, no Triângulo Mineiro. De acordo com a Polícia Militar, a suspeita disse ter agredido o marido por causa de uma discussão com o marido que a ameaçava.

Segundo a Polícia Civil, a mulher foi encaminhada à Delegacia de Plantão da Polícia Civil da cidade, onde foi registrado, um boletim de ocorrência por agressão e lesão corporal. Por ser réu primária, a mulher foi liberada após o pagamento de uma fiança, cujo valor não foi revelado.

Fonte:O Tempo

O padre suspeito de abusar sexualmente de uma adolescente de 14 anos em Arceburgo (MG) também pode ter feito outra vítima na cidade. A Polícia Civil suspeita do crime que teria ocorrido há 8 anos. “Existe a suspeita de mais uma vítima, uma mulher, que está sendo investigado”, afirma a delegada Renata Mattoso Libório.
Em depoimento, a jovem de 14 anos disse que o religioso já teria se envolvido com outra menina que ajudava na celebração das missas. “Ela está bem nervosa, se sentiu culpada, achou que ia ser presa, me abraçou, chorou”, conta a delegada que acredita que os abusos aconteciam há 1 ano.
De acordo com o G1, um vídeo que circula nas redes sociais mostra a menina e o padre em uma cama, a jovem está sem blusa e o religioso a beija na boca.
A garota teria contado para dois amigos o que estava acontecendo e eles aconselharam que ela gravasse tudo com o celular. “Esse vídeo foi na casa paroquial, no quarto dele, pelo que a gente está apurando. Nós vamos fazer perícia criminal para ver se as imagens realmente condizem com o quarto dele. E ela relata agora que também aconteceu na casa dela outras vezes”, revela a delegada.
O Conselho Tutelar decidiu, motivo de segurança, tirar a menina da casa dos pais. “A gente encaminhou a menor, a criança, para a casa da tia, onde a gente achava que era o melhor lugar para ficar. E estamos acompanhando agora”, diz o conselheiro tutelar Gilmar Domingos da Silva.
A Diocese de Guaxupé (MG) informou que afastou o sacerdote imediatamente com o intuito de averiguar os possíveis fatos e acontecimentos.

Fonte:Noticias ao Minuto