VÍDEOS (Pág 8)

                            As imagens são fortes, e caso o leitor seja menor de idade, não recomendamos a visualização do vídeo.

Rio Grande do Norte – Um vídeo macabro registrado dentro do presídio de Alcaçuz, no Rio Grande do Norte, mostra membros da facção criminosa Sindicato do RN fazendo uma espécie de churrasco com o corpo de apenados da facção rival, Primeiro Comando da Capital, o PCC.

As imagens são fortes, e caso o leitor seja menor de idade, não recomendamos a visualização do vídeo.

Fonte: Anderson Nascimento – Newsrondonia

Criminoso afirmou em depoimento que se sentiu ameaçado pelo religioso durante um culto da Mundial, em julho

O pastor Valdemiro Santiago, líder da Igreja Mundial do Poder de Deus, foi esfaqueado durante um culto por volta das 8h deste domingo (8). O responsável pelo ataque, o ajudante geral Jonathan Gomes Higino de 20 anos, estava na fila para receber as bênçãos do apóstolo. Ao chegar perto dele, atacou-o com três golpes, atingindo pescoço e costas com uma faca de 35 centímetros.

Em depoimento ao 8º Distrito Policial (Brás), Higino afirmou que Santiago o havia provocado durante um culto da Mundial, em julho. “Vamos crucificar ele”, teria lhe dito o apóstolo na ocasião.                                                                       Jonathan Gomes Higino                                         Jonathan Gomes Higino                                                                                                                                                                   Na delegacia, Higino disse que pegou a arma usada no crime há cerca de duas semanas, dentro do quintal de uma residência em Santana no Parnaíba. Ele foi preso em flagrante e irá responder por tentativa de homicídio.                     Religioso recebeu 25 pontos nas costas e no pescoço

Um segurança da igreja socorreu Valdemiro, que foi levado para o hospital Sírio-Libanês. Lá, ele recebeu 25 pontos no pescoço e não corre mais risco de vida. Ele publicou um video sobre o caso.

                                            Por Veja São Paulo

                            Uma verdadeira carnificina instalou-se nos presídios localizados na região norte do país após uma rebelião iniciada no primeiro dia de 2017, onde 60 apenados foram mortos com requinte de crueldade, no complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), em Manaus (AM). Corpos foram totalmente dilacerados. As imagens circularam nas redes sociais na velocidade de um furacão. A guerra travada entre as facções criminosas, Primeiro Comando da Capital (PCC) e Família do Norte (FDN), que é aliada ao Comando Vermelho (CV) culminou em mortes. A disputa sempre, segundo informações, é pela o tráfico dentro de fora dos presídios. Passado cinco dias após a rebelião em Manaus, o caos também tomou conta da Penitenciária Agrícola de Boa Vista (PAMC). Por lá foram registradas mais 33 mortes. O modus operandi foi o mesmo utilizado em Manaus, corpos decapitados e até o coração arrancados.

Nessa guerra do crime quem realmente paga a conta é o brasileiro. O governo investe milhões no sistema carcerário, enquanto outros setores estão jogados as traças. Em Rondônia, não foi diferente. No mês de Janeiro de 2002, uma rebelião na Casa de Detenção José Mário Alves, o Urso Branco, os Rondonienses presenciaram uma das maiores e sangrentas rebeliões, 27 detentos que estavam no seguro (ameaçados de morte) foram levados para a caixa d’aguas e seus corpos mutilados.

Na época, a chacina chamou atenção da Corte Interamericana de Direitos Humanos. Uma comissão foi designada para acompanhar de perto os trabalhos e a corte chegou a ameaçar sanções contra o governo. Após o banho de sangue, outras rebeliões foram registradas no Urso Branco e na Colônia Agrícola Penal Ênio Pinheiro, porém com números de mortes bem inferiores.

Na sexta (06), o Sindicato dos Servidores Penitenciários do Estado de Rondônia (SINGEPERON), por meio do presidente Anderson Pereira, comunicou através de uma nota que estão em estado de alerta. A medida foi tomada por precaução, devido as recentes rebeliões nos estados vizinhos. Nesse sentido, os Agentes Penitenciários estão atentos a qualquer indício de motins, rebelião ou tentativa de fuga.

Diante de toda carnificina humana que se instalou nos presídios da Região Norte, qual será o próximo? Essa é uma pergunta que fica no ar.  Fonte; Newsrondonia Postado Por Urupa Noticias

O sanguinário confronto entre facções criminosas rivais dentro dos presídios da região Norte deixou o pavio curto em diversas detenções. Na cidade de Rio Branco, capital do Acre, são muitos os vídeos e áudios circulando pelas redes sociais que supostamente foram feitos por detentos que anunciam um “banho de sangue” nas carceragens.

Em um dos vídeos um possível detento aparece ameaçando as autoridades afirmando que em Rio Branco irá acontecer um massacre maior do que o ocorrido na cidade de Manaus, onde mais de 50 presos foram mutilados e assassinados a sangue frio.

Políticos importantes também são citados, entre eles o presidente da ALEAC (Assembleia Legislativa do estado do Acre), Nei Amorim (PT), no vídeo, o bandido acusa o parlamentar de integrar uma facção criminosa. “Nei Amorim financia facções à anos, tem facção que ele banca a muito tempo”, falou o detento.

VEJA TAMBÉM

BÁRBARO – Jovem é violentada com pedaço de cana-de-açúcar

Ainda de acordo com o suposto detento, em toda a região Norte, apenas o estado do Acre mantém presos dentro da mesma carceragem integrantes de facções rivais. Ele chega a citar o nome da juíza da Vara de Execuções Penais da Comarca de Rio Branco, Luana Campos, que de acordo com o suposto detento, já estaria ciente de toda essa situação.

No estado do Acre o controle do presídio é disputado por três facções, o PCC originário de São Paulo, o CV originário do Rio de Janeiro e a facção surgida no próprio estado do Acre, o Bonde dos 13.

Durante a noite desta última sexta-feira (6) o patrulhamento foi intensificado nas regiões próximas aos presídios da capital, entre as autoridades o momento é de alerta. Confira vídeo:


Fonte: RONDONIAOVIVO

 

O acidente aconteceu na tarde ontem no ramal que dá acesso a comunidade do Paranorama, zona rural de Rio Branco. A forte chuva fez o igarapé São Francisco transbordar e cobrir a estrada que liga a comunidade.

Mergulhadores do Corpo de Bombeiros do Acre passaram horas tentando encontrar o jovem Michel Júnior Pereira de Souza, de 24 anos, que desapareceu nas águas do igarapé São Francisco na tarde do último domingo(1), depois de pular na água para tentar salvar uma família que se afogava depois que a embarcação em que estavam virou quando tentavam atravessar o manancial.

O acidente aconteceu na tarde ontem no ramal que dá acesso a comunidade do Paranorama, zona rural de Rio Branco. A forte chuva fez o igarapé São Francisco transbordar e cobrir a estrada que liga a comunidade.

Com a água cobrindo um trecho do acesso, os moradores improvisaram uma travessia com um barco puxado por uma corda esticada de uma ponta a outra.

O  vídeo divulgado nas redes sociais mostra o momento em que a família embarca e começa a travessia. Quando  embarcação estava chegando na outra margem é arrastada pela correnteza e vira.

Ouve-se gritos de desespero e pedidos de socorro. A imagem também mostra o momento em que o jovem Michel pula na água para tentar salvar as pessoas.

O Major Cláudio Falcão, da assessoria de imprensa do Corpo de Bombeiros Militar, disse que todas as pessoas que estavam no barco foram resgatadas com vida, mas que  Michel não foi encontrado depois de pular na água.

Ainda ontem a tarde, mergulhadores fizeram várias buscas que foram encerradas no início da noite sem sucesso. Ainda de acordo com Falcão, outra equipe de mergulhadores já está no local para reiniciar os trabalhos á procura pelo jovem Michel.

 

Fonte: ac24horas