Homem é detido após fazer reféns em Paris

Um homem manteve ao menos duas pessoas como reféns em um prédio comercial no centro de Paris, informou nesta terça-feira (12) o comando da polícia da capital da França. Segundo a imprensa local, o agressor — que não está sendo tratado como terrorista pela polícia parisiense — libertou todas as vítimas por volta das 14h50 (hora de Brasília), após quase quatro horas de tensão.

Logo após a libertação, o agressor, cuja identidade não foi revelada, foi preso. Sabe-se apenas que ele é um marroquino de 26 anos. Segundo sites franceses de notícias, o homem não estava nas listas de suspeitos de terrorismo ou de radicalização islâmica mantidas pelo governo da França.

Até a última atualização desta reportagem, a imprensa de Paris divergia sobre total de reféns. No momento da libertação, duas pessoas estavam sob posse do agressor, mas há relatos de que outras teriam conseguido fugir pouco tempo depois do sequestro.

Quatro horas de tensão

Por volta de 10h50 (de Brasília), testemunhas procuraram a polícia para informar sobre um homem que mantinha um grupo de pessoas reféns em um prédio na Rua des Petites Écuries, no 10º Arrondissement (distrito) de Paris.

De acordo com a agência Reuters, o imóvel invadido seria uma agência de publicidade. O local fica próximo à Estação do Leste, uma das mais movimentadas da rede ferroviária francesa.

As informações sobre o que ocorreu durante a invasão ao imóvel são desencontradas, segundo a imprensa francesa. Sabe-se que o agressor pedia um contato com a embaixada do Irã para enviar uma carta ao governo francês

O jornal Le Parisien informou que o homem dizia estar armado com uma bomba e uma pistola — o que não foi confirmado pela polícia de Paris.

O agressor também teria dito que já havia agredido as vítimas, inclusive uma mulher grávida. No entanto, o ministro do Interior francês, Gérard Collomb, negou a existência de feridos.

“O homem foi detido, e os reféns estão fora de perigo. Eu saúdo o profissionalismo e o poder de reação das forças policiais e de socorro, em especial a BRI [Brigada de Intervenção e Buscas] da polícia e dos bombeiros, cujos apoios foram determinantes”, disse Collomb, pelo Twitter

Ainda de acordo com o jornal Le Parisien, o agressor não teria resistido à prisão. Ao diário Le Monde, no entanto, uma fonte teria informado que o homem se feriu após “trocar golpes” com policiais.

Não era um terrorista, disse a polícia

Por enquanto, segundo indicaram à Agência Efe fontes policiais, as motivações do agressor não são conhecidas, mas não há elementos que indiquem uma ação terrorista.

“Os agentes vão tentar começar uma negociação com o homem”, disse o policial Yves Lefebvre à BFM TV, que também reporta que o incidente não parece estar relacionado com terrorismo.

Antes da libertação, os policiais disseram aos jornalistas franceses que “as negociações estavam difíceis porque o homem dizia frases desconexas”.

A polícia afirmou que não pode confirmar que o homem estava armado. Uma fonte disse à agência Reuters que ele estaria com uma arma falsa.

O site de notícias “actu17” reportou que o homem afirmava estar em posse de duas bombas e que quer falar com o embaixador do Irã e com o governo francês. Outros veículos de imprensa indicaram que o autor do crime estava armado com uma faca.

Agentes do BRI, a unidade de elite da polícia francesa, foram deslocados até o local do incidente, no 10º distrito da cidade, junto com equipes do serviço de emergências médicas.

Fonte: g1

Comentarios

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here