Vereador do SD é suspeito de mutilar porcos

Um vereador é suspeito de cometer maus-tratos contra porcos em um sítio na zona rural de Brodowski (SP). Segundo testemunhas, os animais foram encontrados com os focinhos mutilados e também sem água e sem comida, alguns agonizavam. O caso foi denunciado à Polícia Civil e à Polícia Militar Ambiental.

Procurado, José Aureo Furlan (SD) não foi encontrado para comentar o assunto.

A denúncia foi feita na quarta-feira (5) depois que dois sitiantes desconfiaram dos grunhidos altos e constantes dos animais da propriedade vizinha. O eletrotécnico Vanderlei Marcos Silvério decidiu ir até o sítio e encontrou o parlamentar com uma ferramenta improvisada para torcer o focinho de um dos porcos.

“Chegando lá, eu o vi com uma espécie de pau em uma corda na ponta, torcendo o focinho e cortando com a tesoura, sem anestesia, sem nada. Estava mutilando os focinhos dos porcos.”

Crueldade

Fotos feitas pelo eletrotécnico mostram vários animais feridos. No local, havia um coxo com sangue na água e um filhote morto.

O construtor Jairo Antunes da Silva, que acompanhava o vizinho, diz que um dos animais estava agonizando. “Ele a deixou sem comida e sem água e ainda cortou o focinho dela, porque parece que ela estava brigando com uma porca e ele deu esse castigo nela.”

Segundo os sitiantes, o vereador ficou assustado com a presença dos vizinhos e tentou justificar a cena. Em seguida, ele recolheu as tesouras usadas e foi embora.

“Ele disse que os porcos faziam buraco, que empurram tábua, mas tem outros procedimentos, fazer um chiqueiro para eles não empurrarem tábua. Até cachorro faz buraco, eu vou cortar a pata do meu cachorro?”, questiona Silveira.

Policiais impressionados

De acordo com Silva, ao chegarem ao local, alguns policiais ficaram impressionados com a quantidade de sangue dos animais espalhada.

“Vimos que tinha sete ou oito porcos com o focinho cortado, um cheio de varejeiras e outros com dificuldade para comer. Eu criei porco a vida inteira e nunca soube de nada disso.”

A reportagem esteve na casa do parlamentar, mas ele não foi localizado. Funcionários da Câmara dos Vereadores disseram que José Aureo Furlan está incomunicável e o caseiro do sítio não soube informar o paradeiro do patrão. Furlan também não retornou as ligações feitas pela EPTV.

Segundo a Polícia Civil, o caso foi registrado como maus-tratos. A pena para o crime pode chegar a um ano de reclusão.

G1

Comentarios

COMPARTILHAR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here